Hero Quest

Sogoken 12/07/2017

O pai dos jRPGs

Dragon Quest

Vamos explorar este que é considerado o primeiro jRPG moderno, e que serviu de base para outros grandes títulos que vieram mais tarde.

  • Nome:Dragon Quest I + II
  • Plataforma:SNES
  • Lançado: 18/12/1993
  • Finalizado: 29/06/2017
  • Duração: 6 Horas

intro

É complicado avaliar este jogo de 1986 lançado originalmente para o NES. Por um lado é o pai dos RPGs com mecânicas que são reutilizadas até hoje, mas por outro é um jogo antigo que não possui muitas das mecânicas que foram aperfeiçoadas durante os anos.

Eu joguei a versão do SNES que é um remake da versão do NES, que contém algumas melhorias, mas que nunca foi lançado oficialmente em Inglês. Para poder jogar, utilizei um patch de tradução. Existe uma versão para Iphone e Androide que é praticamente a mesma coisa, mas eu ainda prefiro a de SNES.

Dragon Quest Mapa


Parte Boa

Historia Clichê de jRPG

Clichê se torna clichê, porque é uma ideia boa que todo mundo copia, certo? O interessante aqui é que nesse caso, ser clichê não é algo ruim, porque na verdade, foi ele quem praticamente inventou esse tipo de clichê.

Na história você é neto do herói Loto (Erdrick no USA) que tinha afastado o mal com a ajuda da Ball of Light (Bola de Luz). Acontece que a Ball of Light foi roubada pelo Dragonlord, e o mal voltou a dominar o mundo. Agora cabe a você, o herdeiro do Herói Loto, restabelecer a paz do mundo.

Para isso é necessário coletar 3 itens que estão espalhados pelo mundo sob a proteção de 3 Sages (sábios). Com estes itens é possível criar a Rainbow Drop (Gota Arco-íris) para abrir o caminho até o castelo do Dragonlord, e acabar com ele de uma vez por todas.

Ah! E é claro que precisa salvar a Princesa do reino no meio do caminho.


Mecânicas inovadora e Boas Idéias

Neste jogo você não tem uma Party, o único personagem é o herdeiro do Herói que você pode escolher um nome. Ele basicamente é uma classe guerreiro que pode soltar magia, e sozinho andará pelo mundo.

Dragon Quest foi inspirado em jogos como Ultima e Wizardry, que possuíam uma interface bem complicada, onde o jogador precisava incluir os comandos por texto (conversar, procurar, abrir porta, etc). Dragon Quest por outro lado usa um sistema de menus, que facilita bastante a interação com o mundo. Essa mecânica foi melhorada em outros RPGs que em vez de utilizar um menu para interagir, apenas o pressionar de um botão já é o suficiente.

Uma das cidades está totalmente destruída. Alem da imersão, isso serve para passar ao jogador um sentido de urgência, pois caso ele não acabe com o vilão, o mesmo acontecerá com os outros vilarejos. É interessante comentar que dentro dessa cidade que está em ruínas, estão a maioria dos inimigos mais poderosos do jogo.

Outra mecânica, pelo menos da versão de Super Nintendo, é que você pode encontrar sementes (nuts) pelo mapa que podem aumentar algum status (vida, força, defesa, magia, etc) do seu personagem para sempre. Essa mecânica foi reaproveitada em outros jogos como Pokémon por exemplo.

Também existe a armadura e espada de Loto, que é o melhor equipamento do jogo que está espalhado pelo mapa para que você possa encontrar.

Outra mecânica interessante é o Metal Slime, que é um inimigo chamado Slime (mascote da série) que tem a cor prata, e que te da MUITA experiência ao ser derrotado. O problema é que ele é bem difícil de ser derrotado, pois é imune a magia, é difícil de ser acertado, mesmo quando você acerta, vai tirar no máximo 1 de HP, e ele sempre foge da batalha. Essa mecânica foi aproveitada em outros jogos como Ni no Kuni e Legend of Heroes por exemplo.

E por último o chefe final tem uma segunda forma mais poderosa que a primeira. Já viram isso em algum jogo por acaso?


Fanservice e Zueiras

Existe no jogo algumas zueiras.

Por exemplo, existe uma sauna ao ar livre em determinada cidade onde você pode fazer puff puff com uma das meninas.

Outro exemplo é salvar a Princesa. Quando você salva a princesa de virar a noiva do dragão, você tem que carregar ela no colo, enquanto anda de volta ao castelo, e chegando no castelo, ela já fala para todo mundo que te ama e te lasca um baita beijo na frente do rei, e diz que estará a sua espera.

Mal conheceu a menina e já dá uns pega nela na frente do pai.


Múltiplos Finais

O final do jogo é bem legal. Ao derrotar o último chefe, você vê um mundo que antes estava destruído, totalmente seguro (sem batalha aleatória), florido e belo.

Você faz o percurso de volta ao castelo do rei, pode passar pelas cidades, conversar com os NPCs, todos vão comemorar e dizer algo do tipo: "Estamos salvos! Você é um verdadeiro Herói!"

Ao chegar no castelo, o Rei vai te oferecer o trono, para que você seja o novo Rei. Você não aceita o trono dizendo que vai construir seu próprio reino, e é nessa hora que o final pode mudar.

Se você não salvou a Princesa do dragão (sim é opcional), eles tocam a musiquinha na corneta e você vai embora, em busca do seu próprio reino, e os créditos rolam.

Se você salvou a princesa, ela vai pedir para ir com você, você pode negar quantas vezes quiser (sim o jogo te dá opção), mas nada acontece até você dizer que leva ela. Os dois vão embora em busca de um novo reino e os créditos rolam.

Mudança sutil certo? Mas o que você esperava de um jogo de 1986? Tem jogo de 2017 que só tem um final.

Mas aí vem a zueira.

Antes de lutar contra o chefe final, ele te oferece metade do mundo, e tudo que você tem que fazer é dar a espada do Loto em troca.

Se você aceitar se aliar com o inimigo, a tela ficará vermelha e o jogo vai congelar obrigando você a reiniciar o videogame. Na versão do SNES, em vez do jogo congelar, você vai acordar no Inn e vão te dizer que foi um pesadelo e tudo não passou de um sonho. É bizarro, mas sim, pode ser considerado um final alternativo.


Dragon Quest Cidade


Parte Ruim

Dificuldade

Puta jogo difícil!

Primeiro ponto é o Grind, ele é necessário. Seu personagem chega no máximo ao lvl 30, mas no lvl 20-23 já da para terminar o jogo. O problema é chegar nesse lvl.

Você vai morrer e vai morrer muito! Você pode ir a qualquer parte do mapa logo no início, e se por alguma razão você vai em uma direção que não era para ir, você vai morrer.

O problema é que quando você morre, você perde metade do seu dinheiro, e os melhores equipamentos são bem caros. Além de perder metade do teu dinheiro, o jogo vai voltar ao castelo do Rei que é o início do mapa e também o único lugar que se pode salvar.

Seu inventário também é limitado, o que te obriga a escolher bem o que vai levar, e também o que poderá recolher no meio do caminho. Existem itens que você simplesmente não sabe para que serve, mas que são vitais pois você tem que utilizar-los em determinadas batalhas, ou morrerá miseravelmente.

Falando em morrer existem equipamentos que são cursed (amaldiçoados), que não tem como diferenciar dos outros itens, e que servem para limitar as habilidades do seu personagem, tornando ele mais fraco. O problema é que somente é possível remover esta maldição em alguma igreja de alguma cidade, ou seja, se você está no meio de uma dungeon e é amaldiçoado, será um sortudo se conseguir voltar vivo até a igreja para retirar a maldição.

Outra coisa é que não existem (ok, existe um) itens para recuperar o MP e consequentemente usar heal para recuperar o HP não é uma boa opção por muito tempo. E muitas dungeons tem mecânica de labirinto onde você fica perdido em batalhas aleatórias. E para dificultar ainda tem uma mecânica de tocha para limitar a sua visão de onde está indo. Lembrando que quanto mais perto do final, mais poderosos são os inimigos, e mais HP eles te arrancam por batalha.

E por último existe um item que é vital para dar sequência no jogo, que você tem que encontrar no meio de uma poça de veneno (onde você perde HP a cada passo que você anda), mas que não tem nenhuma indicação de que o item está ali. Única coisa que você tem são algumas dicas de NPCs, que não é o suficiente.

Por esse motivo era tão famoso os guias de jogos, que eram livros grandes grossos e caros que ajudava o jogador a terminar o jogo, porque sem eles era praticamente impossível.


Dragon Quest Batalha


Conclusão

RankB

Como podem ver Dragon Quest foi um jogo inovador, que eu particularmente achei divertido e que apesar de curto, muita gente não conseguiu completar por sua extrema dificuldade.

É uma rocha bruta que precisa de polimento, mas cá para nós, por ser o primeiro, fez seu trabalho muito bem. E se comparamos com outros jogos da época como Ghosts 'n Goblins, nem é tão difícil assim. Se você grindar o suficiente, é possível terminar o jogo sem problemas.

De qualquer forma é o primeiro jRPG, e é interessante ver como tudo começou. Fico bastante feliz em ter gostado do primeiro título, porque esse é somente o início da jornada.

Até a próxima.


FacebookTwitterGoogleTumblrReddit