Hero Quest

Sogoken 24/09/2017
Shadow of Mordor

Assassin's Creed da Terra Média

Shadow of Mordor

A Monolith Productions tenta produzir o primeiro jogo realmente decente de Senhor dos Anéis, e até que conseguiu.

  • Nome: Shadow of Mordor
  • Plataforma: PS4
  • Lançado: 30/09/2014
  • Finalizado: 19/09/2017
  • Duração: 15 Horas

intro

Shadow of Mordor é um jogo que eu via todo mundo falando bem, e quando eu olhava os gameplays eu também achava interessante.

Geralmente todo jogo de Senhor dos Anéis é um RPG de alguma forma. Quando eu vi os sistemas de experiencia e habilidades, também pensei que Shadow of Mordor fosse um RPG, mas infelizmente percebi que o jogo tinha elementos de RPG, mas que no fundo era um Assassin's Creed.

Shadow of Mordor vs Assassin's Creed


Parte Boa

Sistema Nêmesis

Sem dúvida o sistema nêmesis é o ponto alto do jogo. Sempre que você no jogo, o Orc que te derrotou é promovido para capitão. Caso o Orc que te derrotou seja um capitão, ele aumenta o seu poder, se tornando mais difícil de ser derrotado.

Legal é que cada vez que você vai enfrentar um capitão, tem uma mini introdução entre seu personagem e ele, no melhor estilo de rivais, inclusive se você já morreu para um determinado capitão (no jogo você é “imortal”), ele fala coisas do tipo “você voltou!”, que é uma adição bem bacana. O único ponto negativo é que depois de horas de jogo, isso fica enjoativo, e não da pra pular essas cenas.

Como o nosso objetivo é buscar o assassino da nossa família (vou explicar esse ponto mais pra frente), temos que buscar informação de onde este assassino está, e para fazer isso, logo antes de executar algum orc, apertando os botões certos, você pode entrar na mente do Orc.

Quando nós entramos na mente do Orc, podemos descobrir quem são os capitães, onde os capitães estão, e quais são as forças e fraquezas de cada capitão por exemplo. Saber as resistências e fraquezas de cada capitão é bem importante neste jogo, já que eles são bem poderosos e nunca andam sozinhos.

Ao descobrir onde o capitão está, você pode ir lutar contra ele e caso consiga entrar na mente dos capitães, você conseguirá informações dos generais (que geralmente são 5), e derrotando os generais você consegue prosseguir no jogo.


O verdadeiro potencial do Sistema Nêmesis

Somente na metade do jogo, o que é uma pena, nós ganhamos a habilidade de converter determinado inimigo para o nosso lado ao entrar na mente dele.

Quando convertemos um capitão para o nosso lado, além de conseguir informações preciosas, conseguimos fazer com que eles traiam o seu superior, para que ele possa chegar a nível de general por exemplo, com a nossa ajuda.

Converter o exército inimigo ao nosso favor é bem importante, já que na missão final você depende desse exército para lutar contra as forças de Sauron. Eu particularmente não estava gostando muito do jogo, porque matar capitães e pegar informação, é de certa forma opcional e não trazia tanto benefício (somente xp), mas converter o exército para o seu lado realmente satisfatório de certa forma.


Senhor dos Anéis

O jogo se passa entre os eventos de O Hobbit e A Sociedade do Anel, um período que não foi retratado nos livros, mas é um espaço que dá pra aproveitar bastante coisa.

Então no jogo vemos por exemplo o Gollum, e temos que inclusive fazer missões junto com ele, e vale a pena comentar que o Gollum foi dublado pelo mesmo ator dos filmes na versão americana do jogo.

Vale comentar que o jogo tem uma versão totalmente em português do Brasil, mas infelizmente o meu Playstation 4 só habilitou áudio e legenda em inglês, e o jogo não tem opção de trocar os idiomas por menus, o que é uma pena.


Boas mecânicas

Shadow of Mordor é praticamente um Assassin's Creed, focado totalmente no stealth (matar sem ser visto), o que não é algo ruim pra quem gosta desse gênero.

Existem torres espalhadas, para que você possa abrir o mapa, existem habilidades a serem destravadas, existe uma montaria para que você possa deslocar mais rápido pelo mapa, tem dia, entardecer, noite, chuva, e isso afeta na jogabilidade e dificuldade do jogo diretamente, mas no geral o jogo tem uma boa dificuldade.

Falando em habilidades, para abrir as habilidades existem 3 tipos de experiência. A primeira é o xp normal que você consegue completando missões e matando os inimigos e serve para comprar as habilidades disponíveis. A segunda você consegue completando missões, descobrindo colecionáveis, habilitando as torres e quebrando runas (vou comentar depois de runas) e serve melhorar aspectos do personagem e das armas (mais hp, mais flechas, etc). A última, chamada battle points, você consegue somente completando missões e derrotando generais, o que é bacana, já que é uma forma do jogo te incentivar a cair na porrada com esses brutamontes, e serve para disponibilizar as habilidades para que você possa habilitar depois.

E por último, alguns chefes necessitam determinada estratégia para que você possa vencer, e essas mecânicas de estratégia são bem interessantes e quebra um pouco a monotonia de esmagar botões.


Shadow of Mordor Sistem Nemesis


Parte Ruim

Péssima narrativa

Você é Talion, capitão nas defesas de Gondor, e em um ataque sua esposa e filho são assassinados diante de seus olhos. Ao morrer (sim eles também matam você), um espírito com amnésia está fusionado com você (e que não permite que você morra), partindo em uma jornada por vingança, além de buscar uma maneira de se libertar dessa imortalidade para que você possa morrer em paz e reencontrar sua família.

Mais pra frente o enredo até aprofunda um pouco e faz algumas revelações surpreendentes, mas a maneira que tudo é contado é bem horrível. No mapa estão espalhadas as missões, e ao ir fazer alguma missão principal, uma pequena cutscene é mostrada, e durante a missão diálogos são ditos e no final algumas outras cutscenes são mostradas.

O que eu quero dizer é que parece que tudo foi feito separado e depois juntado aqui. O jogo imagina que o jogador já tem conhecimento de toda a obra, e muita coisa não é explicada, e além disso o próprio jogo dá a impressão de que algo passou com seu personagem durante a última missão e a missão atual, mas que nunca foi mostrado ou explicado.

Spoiler alert, o jogo é sobre vingança, e quando você vinga, o jogo acaba.


Construção do mundo

Esse é um ponto que me incomodou bastante. O jogo tem 1 mapa, que você faz tudo ali, e na metade do jogo abre um segundo mapa, que você fica ali até o fim do jogo. Você pode alternar entre os mapas, mas na verdade você nunca faz isso porque não é necessário.

O problema aqui, é que ambos os mapas são muito pequenos, o que te obriga a ir nos mesmos lugares varias e varias e varias vezes, sendo que eles poderiam ter feito um único mapa, contendo os dois, para que ficasse um único mapa pequeno-mediano.

Outro problema grave, é que não importa o quanto você mata Orc, eles sempre vão continuar vindo e vindo, eles nunca param de dar respawn, e a impressão que o jogo passa, é que não importa o quanto você mata, você não está progredindo. Várias vezes estava cercado por Orcs por horas e horas, matando geral, mas sempre vinha mais e mais Orcs, ai eu cansava e simplesmente passava correndo por todos, porque nem experiencia direito isso te dá.

Tudo bem que é um jogo feito pra jogar em stealth, mas nem em stealth tu consegue limpar o mapa. Até em Metal Gear Solid você consegue limpar o mapa, e aqui você simplesmente não consegue.


Péssimas mecânicas

O personagem principal é travado. Alguns movimentos são muito lentos para que tenha tempo de fazer toda a animação. É tão travado que chega a incomodar, e como um bom jogo em 3D a câmera não ajuda em nada. Também não é difícil ficar preso porque tem uma pedra perto de uma árvore.

Ao matar os capitães você ganha runas. Essas runas podem ser equipadas em suas armas (até 5 runas por arma), dando alguma vantagem. O problema que as runas são totalmente aleatórias no melhor estilo de Diablo III, então se você quer uma build extremamente poderosa, terá que perder horas e horas matando capitães e esperar que tenha sorte para que venha a runa que deseja.

Existem missões com time limite, e eu simplesmente odeio ser obrigado a fazer uma missão de stealth com time limite, mas em contrapartida o stealth é facilitado, de modo que você pode matar um inimigo do lado do outro e ninguém perceber.

Geralmente todo o combate contra vários inimigos ao mesmo tempo é um esmaga botões desenfreado, mas (spoiler alert) no final do jogo o penúltimo chefe você é obrigado a lutar em modo stealth, e o último chefe é apenas um quick time event. Parece que alguém ficou sem tempo na hora de entregar o jogo, se bem que duvido que a maioria dos jogadores chegaram até aqui.


Shadow of Mordor Gameplay


Conclusão

RankB

Shadow of Mordor teve boas ideias, mas que não foram bem aproveitadas, ou por falta de dinheiro por ter que pagar pelo direito de uso da franquia Senhor dos Anéis e dubladores renomados, ou por falta de tempo para aproveitar o hype de O Hobbit.

Se comparado com outros jogos de Senhor dos Anéis, com certeza este é um dos melhores. Não é um jogo que eu particularmente recomendaria, mas para você que é fã, com certeza vale a pena dar uma olhada.

Só espero que sua sequência Shadow of War seja tão boa quando os trailers mostram. Afinal de contas o primeiro Witcher também foi fraco.


Quer outra opinião?



FacebookTwitterGoogleTumblrReddit