Hero Quest

Sogoken 02/01/2018
Jogos no Lançamento

4 problemas de jogar no lançamento

Jogos no Lançamento

Entenda os maiores problemas de ser um dos primeiros a jogar um título em seu lançamento.


intro

Hoje em dia vivemos a indústria do Hype, onde jogos são anunciados meses ou até mesmo anos antes de realmente serem lançados, fazendo com que os jogadores fiquem por anos na expectativa de jogar aquele cobiçado titulo.

Antigamente um jogo era criado por uma equipe pequena, ou até mesmo uma única pessoa. Era um cenário muito diferente do que temos hoje em dia, uma vez que os grandes jogos triple A contam com centenas de pessoas em sua equipe, tornando os projetos infinitamente mais caros. Muita gente tem a impressão que quanto mais gente você tem no time de desenvolvimento, mais fácil o trabalho se tornará, mas isso não é verdade. Quanto mais pessoas você tem no time, maior será a dificuldade de controlar todos ao mesmo tempo para chegar ao objetivo final.

Por este motivo, os grandes projetos da atualidade sofrem vários atrasos, fazendo que grande parte dos jogos que chegam em nossas mãos no lançamento, serem produtos completamente diferentes do que você deveria jogar, o que nos faz chegar ao tópico da nossa discussão: Vale a pena jogar um jogo no lançamento?

E é com essa pergunta em mente, que eu vou citar os 4 maiores problemas de se fazer isso.

Jogos em Promoção

Experiência proporcionada ao jogador

Graças a facilidade de ter os consoles conectados à internet, hoje em dia é muito fácil enviar pequenas correções por download. Um caso recente foi o caso do Xenoblade Chronicles 2 do Nintendo Switch, que em menos de um mês depois de seu lançamento, a Monolith disponibilizou pequenos patches de correções de alguns bugs, além de melhorias na jogabilidade para facilitar o fast travel por exemplo, entre outras que adicionam novas funcionalidades que vão facilitar a vida do jogador. Isso sem falar no novo modo de jogo, o New Game+.

Esse é um exemplo que melhorias que foram efetuadas ao produto final, de acordo com o feedback que receberam da comunidade. Um outro exemplo foi o caso do The Witcher 3, que também sofreu melhorias nos menus, para facilitar o gerenciamento de itens, alem de correções de pequenos bugs, como legenda pequena demais. De todos os casos que vou apresentar, eu diria que esse é mais aceitável, afinal de contas sabemos que por mais que os produtores tenham em todos os pontos, sempre é saudável escutar o feedback da comunidade, para dar aquela polida no titulo, garantindo a alegria de todos.

Esse tipo de ajuste é sempre bem-vindo, desde que seja de forma rápida para garantir que todos terão acesso a melhor experiência possível. Mas infelizmente aquela pessoa que foi mais apressadinha, devorando o titulo nos primeiros dias, não terá a oportunidade de usufruir dessas melhorias, pois terminou o jogo todo bugado mesmo.

Menu Antigo
Menu Novo

Correção de problemas graves

Para esse caso gostaria de citar o lançamento de Dragon Age Inquisition. O jogo quando saiu era lindo com gráfico de ponta. O problema começou quando o jogo começou a apresentar problemas de performance em algumas máquinas chegando até mesmo a travar totalmente durante a partida. Obviamente a comunidade entrou em fúria no fórum da Bioware.

Para corrigir o problema de performance, a Bioware lançou um patch gigantesco que basicamente diminuía a quantidade de textura dos objetos, fazendo com que o jogo ficasse mais feio e consequentemente mais leve. Basicamente em vez de solucionar o problema optimizando o jogo, eles reduziram a qualidade gráfica para que todos pudessem jogar, sendo que várias pessoas que não tinham problemas com o jogo, receberam uma versão com qualidade gráfica inferior.

Outro exemplo que eu posso citar, foi no lançamento de Pokémon X e Y que tinha um glitch onde simplesmente corrompia o jogo salvo. Imagina o cenário onde você está no hype, joga loucamente o titulo por 20 horas, e de repente seu save é corrompido fazendo você perder todo o seu progresso. Obviamente a Game Freak lançou um update as pressas para solucionar este problema, mas que infelizmente não solucionou o prejuízo de quem jogou no lançamento.

Dragon Age Patch

Pagar mais por menos

Obviamente todo jogo quando é lançado, recebe um preço tabelado de lançamento. Depois de alguns meses, várias DLCs são lançadas adicionando conteúdo extra ao jogo, e é claro que as produtoras fazem isso para ganhar mais dinheiro com menos investimento.

O mesmo aconteceu com Shadow of Mordor, que ao longo de sua existência, foram lançados 2 DLCs adicionando conteúdo extra para a história, além de outros DLCs menores com itens e Skins extras. Em menos de 8 meses uma nova versão foi lançada, a Game of The Year Edition, que além de conter jogo completo com todas as correções e DLCs já lançados, custava apenas 80% do seu valor de lançamento. Se você foi paciente o suficiente, hoje em dia é possível encontrar esse mesmo jogo, novo, na caixa, por menos de 30% do valor de lançamento.

Várias produtoras adotam o mesmo procedimento, para garantir que seu produto siga vendendo por meses, ou até mesmo anos depois de seu lançamento oficial. Alguns exemplos que posso citar: Witcher 3, Tomb Raider, Dishonored, Borderlands 2 entre vários outros. Outra pratica comum é o relançamento do mesmo titulo através de remakes e remasters, mas este é conteúdo para uma outra discussão.

Jogos com Desconto

Simplesmente a experiência não está completa

Este é o caso mais grave e por isso mesmo deixei para o final. Devido principalmente a pressão das produtoras em cima das desenvolvedoras para entregar o produto na data combinada, afinal de contas querem o retorno de seu investimento, fazem com que alguns jogos acabem simplesmente saindo incompletos.

Gostaria de utilizar o Final Fantasy XV como exemplo aqui. O jogo foi anunciado em 2006, sendo lançado somente 10 anos depois. Obviamente tiveram vários problemas na produção como mudança de geração, mudança de engine, mudança de diretor, mudança de título entre varias outras coisas que nunca foram divulgadas.

Um dia vou explicar essa historia melhor, mas resumidamente a Square Enix tinha que recuperar de alguma forma um pouco do investimento deste projeto, e para isso fizeram uma campanha de marketing gigantesca, envolvendo a produção de um filme, pareceria com outras empresas como a Audi por exemplo, além de uma série animada e outros jogos menores para dispositivos móveis que estão de alguma forma conectados a franquia.

A pressão em cima da equipe de produção estava gigantesca, e mesmo o jogo sendo adiado por problemas de performance, pois a engine utilizada apesar de ser muito linda, não conseguia executar o jogo sem engasgar no framerate, teve que ser lançado incompleto. Este problema da engine foi tão grave, que fez com que a Square Enix optasse pelo uso da Unreal Engine 4 na maioria de seus lançamentos futuros, inclusive em títulos como Final Fantasy VII Remake e Kingdom Hearts III.

Para dar uma ideia, o Capítulo 11 basicamente era um capítulo onde grande parte da história era contada através de textos. Grandes mapas que deveriam ser jogáveis, estavam ali com nenhum conteúdo. Corredores que simulavam pontos importantes da história, que na verdade deveriam ser cidades completas. Acho que já deu para entender o nível do problema.

Com peso na consciência, e sabendo que o jogo estava incompleto, a produção começou a lançar vários updates gratuitos, adicionando melhorias na jogabilidade, conteúdo adicional, funcionalidade extra, cutscenes extras, modo online entre varias outras coisas para melhorar a experiência, além de tapar vários furos no roteiro, para que a história começasse a ter mais sentido. Para se ter uma ideia o famigerado Capítulo 11 mudou da água pro vinho, mas infelizmente quem jogou o título no lançamento teve uma experiência bem diferente de alguém que jogar o titulo com todas as melhorias. Final Fantasy XV no lançamento era praticamente uma versão Beta do que ele é hoje.

Infelizmente existem outros jogos que por um motivo ou outro também acabaram sendo lançados de forma incompleta, ou então que a experiência inicial foi totalmente alterada comparado a experiência atual. Para exemplificar vou citar alguns exemplos como No Man's Sky, Street Fighter V, Diablo 3, Final Fantasy XIV entre outros. E não vou nem comentar os jogos com update de correção no dia 1, que os patches geralmente são maiores que o conteúdo do disco original.

Jogo Bugado
Conclusão

Geralmente a pessoa que compra o jogo no lançamento, é aquele fã que confia cegamente na produtora, pagando mais caro para apoiar o projeto além é claro de poder jogar primeiro que todo mundo, mas como pudemos ver, existem vários casos onde a "facilidade" da tecnologia acaba prejudicando os consumidores.

O maior problema na minha opinião, é que passou a ser normal que parte do conteúdo necessário para proporcionar a experiência completa, venha através de DLCs e updates. Outro ponto é que em alguns anos, quando os servidores estiverem offline, quem quiser jogar estes jogos não vão poder ter a experiencia completa, pois será impossível descarregar estes updates. É claro que no computador é mais fácil minimizar este problema, e com a onda de remakes e remasterizações, fica mais fácil ainda jogar um titulo antigo. Sendo extremista, o problema vai ser para os colecionadores ou para as pessoas que só tiveram a possibilidade de acessar a antiga geração atualmente, pois infelizmente terão apenas jogos incompletos.

Resumindo, se puder esperar não jogue nada no lançamento, espere um pouco, mas não espere demais a ponto de não conseguir descarregar os updates. E verdade seja dita, com tantos jogos saindo todos os dias, vale mais a pena dar prioridade aos títulos mais antigos.


FacebookTwitterGoogleTumblrReddit